Bolsas - Perguntas Frequentes

 

 

Terei bolsa assim que ingressar no curso?

Não há garantia, pois depende do número de bolsas que o Programa recebeu das agências de fomento (CAPES e CNPq), e do número de estudantes que as pleitearam.

 

Como posso obter uma bolsa de pós-graduação?

Há dois tipos de bolsa que você pode pleitear: as distribuídas pelo Programa, que chamamos de cota institucional, e as solicitadas pelo seu(sua) orientador(a) a um órgão de fomento, que chamamos bolsa individual. Como não há garantia de haja bolsas do Programa para todos os alunos, é recomendável que você converse com seu(sua) orientador(a) para solicitar bolsa individual. Mais informações aqui

 

O que é a cota de bolsas do Programa?

São bolsas que os órgãos de fomento à pesquisa e pós-graduação concedem diretamente aos Programas de Pós-Graduação. Essa cota é administrada pelo Programa, que deve publicar seus critérios de concessão. As cotas são concedidas no início de cada ano letivo, por volta de março, e podem variar.  A lista atualizada de  bolsistas do programa está na listagem de alunos ativos.

 

Qual é o critério para concessão de bolsas do Programa?

A ordem de concessão é dada pela nota da(o) aluna(o) no exame de ingresso. Em caso de empate, a nota da prova e, em seguida estágio do curso em que o aluno se encontra são usados. Veja os critérios completos aqui, e a classificação atual aqui.

 

Devo estar matriculado para pleitear uma bolsa do Programa?

Para pleitear não, mas para usufruir sim. Seu nome entrará na lista de espera assim que for aprovado(a) no ingresso. Quando uma bolsa do Programa torna-se disponível, entramos em contato com as pessoas que estão nessa lista de espera, na ordem da classificação. Neste momento a pessoa deve matricular-se para usufruir da bolsa, se ainda não estiver matriculada. Há a possibilidade de aguardar a bolsa para matricular-se, veja nas perguntas frequentes de estudantes ingressantes.

 

Os alunos que recebem bolsas do Programa poderão mantê-la até concluir o curso?

Não. Nosso programa tem a norma de que a bolsa institucional só pode ser usufruída até o 24° mês de mestrado e 48° mês de doutorado, a contar da matrícula. Vencido esses prazos, a bolsa é transferida para a próxima pessoa na lista de espera, mesmo que o(a) antigo(a) bolsista ainda não tenha concluído sua pós-graduação. 

 

Há bolsas do Programa disponíveis de imediato?

Nem sempre, mas podemos lhe dar previsões de disponibilidade, pois os prazos de uso das bolsas de cada estudante são conhecidos. Consulte o cronograma de fluxo de bolsas aqui. Para bolsistas atuais veja a listagem de alunos ativos.

 

O que acontece quando não há bolsas disponíveis?

Aprovados(as) no exame de ingresso, matriculados(as) ou não, compõem uma lista de espera por bolsas do Programa, classificados pela nota no exame de ingresso. Quando um novo exame é concluído o anterior perde a validade e as pessoas classificadas que não se matricularam não podem mais ingressar pela vaga do exame concluído. Com isso são também retiradas da lista de espera,

 

Há outras maneiras de ter uma bolsa, além das distribuídas pelo Programa?

Sim. Há vários órgãos de fomento que concedem bolsas de pós-graduação diretamente ao(à) estudante. A solicitação dessas bolsas individuais é iniciativa do(a) aluno(a) e orientador(a). Como não há garantia de haja bolsas do Programa para todos os(as) alunos(as), é recomendável que você busque também esta via. Converse com seu(sua) orientador(a) a respeito.